quarta-feira, 29 de junho de 2011

QUARTOS SECRETOS



QUARTOS SECRETOS
(Victtoria Rossini)

Porque será
Que é nos dias mais nublados
Que percebemos todos os nossos ângulos
E tateamos nossa complexidade??

No escuro da minha dor
Eu realmente me toco
E quando me escondo
Para que olhos estranhos não me arranhem
Daí eu me vejo

No secreto das minhas angustias
No inexprimível dos meus medos
Esconde-se o segredo
De quem eu realmente sou

Mesmo que aqui
Tenha mais arestas do que retas
E mais espinhos do que flor

6 comentários:

Karinna* disse...

* De agruras e sombras, luzes e escuridão, de arestas e angústias, somos feitura da essência que nutre a alma...e a poesia se dá no sorriso sem festa, na dor de ser ou não, na esperança que acena, na flor que nos toca, na amizade que transcende...e por vezes é na introspecção que somos plenas!
rsrsrs...divaguei nos teus'quartos secretos'...
BELO!
Beijoka*

Rosi Alves... disse...

AMEI BEIJOS

Victtoria Rossini Poesias disse...

:)
Uma frase tua Karinna...E a poesia explodiu porta a fora, fazendo com que o quarto secreto se iluminasse :)
Obrigada pela inspiração!!
Prazer imenso ter tua amizade
\o/

Victtoria Rossini Poesias disse...

:) Ola Rosi
Muito bom ter você aqui!
Obrigada pelo carinho da companhia na caminhada .
\o/
muitos beijos no coração querida

Ricardo Barras disse...

Maaaaaaas que belíssimo poema amiga!

Realmente, nos dias nublados, a energia parece abrandar, e conseguimos escutar o ranger de cada articulação...

;)

(Não se esqueça que temos que ser aqueles colegas sensacionais do futuro! Ahah)

Beijos (:

Victtoria Rossini Poesias disse...

Ja somos poeta! Ja somos! Tu do lado de la do atlântico e eu do lado de cá!!
Sei que a poesia Lusitana terá muito a ganhar com você poeta!! :D
\o/
Abraço