sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

RENASCIMENTO

RENASCIMENTO
(Victtoria Rossini)

_”Tenho medo Sensei...
O mundo é duro e eu não sobreviverei!”

_”O pior você já fez...Nasceu!
Desafiou milhões de espermatozóides
E chegou antes

Agora jogue-se no mundo
E encare a morte se for preciso
Olhando-a nos olhos

Nem ela poderá te fazer nada
Viver ou morrer só depende de ti
Tem mortos, vivos por ai
E tem vivos, mortos por ai

Lute!
Lute com todo o teu corpo e a tua alma
Não se separe de ti.
Teu Eu é teu escudo e tua arma.
Se refugie na vida e na força
Que esta alem do medo
Que É sempre: Alem da morte!

Aqui nada poderá te ferir
Nada poderá te destruir.
Teu EU é a tua fortaleza
Porque nele vive Deus.

Ignore tudo o que você já viveu
Tudo o que você já aprendeu
Refaça todas tuas rotinas
Reinicie tudo agora

Renasça no teu EU
E vença!"

CAPRICORNIUS


CAPRICORNIUS
(Victtoria Rossini)

Quem me olha de fora
Vê a dureza
Fortaleza
Da solidão

Não sabe que aqui
Dentro da caverna escura
Reina a alma pura
Que almeja o bem

Pés na terra
Olhos no céu

Sigo sempre em frente
Indiferente
As pedras
As dores
Aos desamores
Que tentam me derrubar

Logo ali
Está o que anseio.
Chegarei...Com certeza!
É só mais uma pedra
Mais um passo...
E eu me acho


Da série Zodiacs

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

AQUARIUS


AQUARIUS
(Victtoria Rossini)

Porque a água
É o meu elemento
E fluir
É a minha natureza

Me despejo em sentimentos
Enchendo o mundo de sonhos

Da série Zodiacs

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

OLHANDO PRA DENTRO


OLHANDO PRA DENTRO
(Victtoria Rossini)

Olhando pra dentro as coisas se tornam mais claras
Mesmo que estejam fora de nós

Nossos motivos
Nossas necessidades
O que nos serve
(E o que não nos serve)
Só ficam nítidos e tem sentido
Quando o que esta fora de nós
Encontra eco aqui...
No silêncio do coração.

domingo, 26 de dezembro de 2010

O PRINCÍPIO DO FIM


O PRINCÍPIO DO FIM
(Victtoria Rossini)

A vida se derrama pelas minhas aberturas...
E o que me fez tão dura
E ditou minha escravatura
Acaba aqui

O que antes era correto
E aparentemente concreto
Se torna larva quente a escorrer de mim

Pelas minhas mãos verte ferro ardente
E o que já me fez contente
Hoje só espero o fim

È realidade liquida o que me cerca
Tateio na teia incerta
Que se desfaz...Enfim..

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

TUDO CULPA TUA

TUDO CULPA TUA
(Victtoria Rossini)

Tudo culpa tua!!
Por tua culpa acordei feliz
E dormi sorrindo como a tempos não dormia

Tudo culpa tua!!
Ando dançando nas calçadas
E cumprimento todos na rua

Tudo culpa tua!!
O sol amanheceu brilhando mais
E a noite tem mais estrelas

Tudo culpa tua!!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

MIRANDO OS OLHOS DO TEMPO

MIRANDO OS OLHOS DO TEMPO
(Victtoria Rossini)

Sequer pisco
Olhando as cortinas,
Se fecharem no horizonte

Eu e o tempo.
Ele indiferente
As fatias que os homens fizeram de sí...

E correm contra o relógio
Se escondem dentro dos copos
Abraçam-se a outros corpos
Consolando-se pelos dissabores...

Que não foram...Nem vieram
Foram sentidos apenas
Pelos sensíveis terminais nervosos
Das mentes em ebulição

Quantos são os homens
Que realmente se acharam?
Quantos se perderam?
Quantos hoje
Estão impotentes frente a si mesmos
Não sabendo sequer...Quem são

Sabem apenas
Que não chegaram onde os outros estão
(E a sensação de fracasso os esmaga)
Já nem importa quem ou o que são
Já que não são
O que queriam ser...
E sofrem

Mas o tempo indiferente
Dormita estagnado
Não se move em si
Nem pro presente
Nem pro passado
Nem pro futuro

Eu urro: MAIS UM ANO!
E o tempo me olha impassivel:
_ Mais um dia
Mais um ano
Mais um século
Que importa?
Tudo vai
Para o lugar de onde veio

REFLEXÕES ACERCA DE... NADA

REFLEXÕES ACERCA DE...NADA
(Victtoria Rossini)

Perdemos muito tempo...
Deixamos escorrer energia
Sentimentos, vida, amor

Desperdiçamos o melhor de nós
Pensando em coisas
Ou que já foram
Ou que nunca serão
( E os chamamos sonhos)
Como se para germinar
Eles não precisassem de ação

Gastamos nossos neurônios
Em passatempos que não agregam
Em bebidas que não saciam nossas sedes
Em hábitos que não nos alimentam
Em coisas e pessoas
Que não nos tornam melhores

Daqui a alguns anos
Olharemos pra trás
E veremos que tudo era nada...
Que a que (e quem)
REALMENTE IMPORTAVA
Deixamos o tempo que sobrava
Os porão do coração
As frestas da mente

Nos perdemos na vida
Em reflexões acerca de...Nada

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

BRINDEMOS! Feliz Natal


BRINDEMOS!!
(Victtoria Rossini)

Brindemos amigos!
A vida
Ao amor
A família
As amizades
A tudo que tivemos nesse ano...

Tivemos maus momentos
(Mas aprendemos com eles e crescemos)
Que não se repitam

Tivemos ótimos momentos
(Foram colheitas merecidas)
Que se repitam e se multipliquem

Um brinde ao melhor que há dentro nós!
Que saibamos a cada dia que passa
Nos abrir e compartilhar com os que nos cercam
A luz, o carinho e a paz que habitam
Dentro dos nossos corações

Obrigada pela companhia em 2010
FELIZ NATAL E UM 2011 MARAVILHOSO!!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

AS VEZES CAMINHAMOS...MESMO PODENDO VOAR

AS VEZES CAMINHAMOS...MESMO PODENDO VOAR
(Victtoria Rossini)

As vezes caminhamos
Mesmo podendo voar
Para andar lado a lado
Com quem amamos

Fênix e serpente
Também se amam...
Mesmo que só por uns momentos
Compartilhem o mesmo ninho

As diferenças as vezes pesam
Mas o amor
Sempre volta a aproximar

E quando as similaridades
Os aprendizados
São compartilhados,
Cria asas
Quem nunca voou
E aprende a se firmar na terra
Aquele que delas
Sempre se esquivou

Os olhos serpentinos
Que miram o céu
Onde seu coração mergulhou
Aprendem a soltar os pés do chão
E se arremessar num vôo cego
Rumo a imensidão...

Nesse momento
Céu – terra
São apenas “lugar”.
Isso só entende
Aquele que já amou.

PENSO...LOGO: FALO!

PENSO...LOGO: FALO!
(Victtoria Rossini)

A mediocridade
Com inveja e preconceito
(Disfarçada de cultura)
É mais nojenta
Que a burrice escancarada.
Pelo menos ela é sincera!

Que a vida livre o mundo
De seres que querem determinar
O que é cultura
O que é arte
O que é “o melhor para todos”

A diversidade
É a riqueza do mundo
E expressar-se
O nosso dom maior

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

EXPLORANDO AS PROFUNDEZAS

EXPLORANDO AS PROFUNDEZAS
(victtoria Rossini)

Espiando por tras de cada pensamento
De cada sentimento...
Por tras das portas do meu coração
Vive uma curiosa
Que não se contenta em apenas sentir

Quer examinar
Entender
Explicar
Para cada neurônio
O que ve
Porque ve
E como vê...

Nessa procura
Dou de cara com espelhos
Abismos
Ares rarefeitos...

Mas continuo...
Não quero só viver
Tambem quero entender
A magia por tras de cada ato
De cada palavra
E de cada flor

ABRAÇAR VOCÊ

ABRAÇAR VOCÊ
(Victtoria Rossini)



Você nem imagina
O prazer que me da
Quando meu coração
Encosta no teu



É um soluço
Contido na alma
Que só se acalma
Quando tu estás



Sinto que minha vida
Se alinha com a brisa
E voa até o céu



Um abraço teu
É um laço
Que me leva até Deus

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

DESNUDAS

DESNUDAS
(Victtoria Rossini)

Poetisas insensatas
Dançam nuas pelas praças
Para todo mundo ver

Rasgam seus vestidos
Expõe-se até ao ridículo
De chorar sem se esconder

Suas lagrimas lavam as calçadas
Algumas servem de asas
Pra quem não sabe viver


Adoro ver essas almas escancaradas
As "Clarices nossas" desvairadas
Fotografando as feridas
As cicatrizes que a vida
Sem dó nos presenteou

Espio-as pela janela...
Eu sei: Já fui uma delas
E gritei...Pra não morrer

CADA UM É O QUE É

CADA UM É O QUE É
(Victtoria Rossini)

Quem disse q eu quero ser simpática?
Quero ser eu!...
Os outros gostar de mim (ou não)
Isso é problema de cada um


Tudo é uma questão de individualidade.
As pessoas são como são.
Eu gosto ...Ou não
Elas me gostam...Ou não.

Me posto como me sinto bem
Em relação a cada pessoa...
Ou situação

Como também não me ofendo
Se não gostarem de mim
(ou de certas coisas em mim)
Não vivo para agradar os outros

Só tem uma pessoa
Que eu tenho que conviver
Julgar, corrigir ( mais com amor do que com justiça)
Viver, encarar, apoiar
E aprovar todos os dias: EU
Eu sou MINHA responsabilidade!
Os outros que sejam livres para serem quem são

domingo, 28 de novembro de 2010

COM VOCÊ APRENDI...

COM VOCÊ APRENDI...
(Victtoria Rossini)

Aprendi a ver tua beleza
Seu usar meus olhos

Aprendi a tocar
Mesmo sem usar as mãos

Aprendi ajudar
Mesmo sem estar perto

Aprendi a sonhar
Mesmo que a hora de acordar
Seja daqui a alguns minutos

Aprendi a amar
Sem esperar reciprocidade
Sem medos
Sem preconceitos
Sem hora marcada...
Apenas amar...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

NOS CAFÉS DA VIDA

NOS CAFÉS DA VIDA
(Victtoria Rossini)

Sigo com olhar fixo a fumaça do café.
E não é como você dizia...
Não bailamos abraçados
No calor da cafeína

La fora faz frio
E aqui dentro
Vida, a garçonete doida
Me oferece vodka

Não quero química
Quero alquimia
Quero verdade.
Ela sim é alucinógena!

Cravo as unhas nas mãos
E tenho certeza:
Estou no meu corpo.
Não no filme
Que sempre temi
Um dia ter que assistir:
Eu..Sem você

Tomo um gole de café
Agora sem fumaça
Levanto e saio

Com ou sem você...
Eu sigo!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A LUTA DO GUERREIRO

A LUTA DO GUERREIRO
(Victtoria Rossini)

Pense bem ..
Algo esta errado aí?
Não se sente confortavel?
Não esta feliz?
Não se autorealiza?

Pense bem...
Se teu senso de justiça
Não é muito duro com você.
Então tua auto aprovação
(Necessaria para todo guerreiro)
É quase um julgamento sumário
Quando deveria ser um carinho

Pense bem...
Se sente desajustado e inutil?
Será que você não insiste
Em determinadas posições
Que a vida claramente
tenta te mover?

A flexibilidade e capacidade de mudança
São os principais talentos
de um guerrreiro vencedor

Ele faz do seu corpo seu mundo
E da terra a sua casa
Mas não se fixa em nada
Para poder de tudo usufruir.
Ele nao tem medo de abandonar o passado
Nem de viver sem expectativas futuras.
Mas da tudo de si em cada ação

A coragem do guerreiro
Esta na sua luta diária
Ele gira ao redor de si
Avaliando tudo
Trasformando
E vencendo...
Primeiro a sí mesmo!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

ALUCINAÇÕES

ALUCINAÇÕES
(Victtoria Rossini)

Com mãos suadas e corpo tremendo
Me arrasto
Pra fora da tua cama

Enquanto tenho forças
Me arrasto
E tu me segues

Delirios tremens
Imagens loucas
E tu me persegues

Um sonho vivo
Visões do paraiso
...E tu me amas...

QUANDO VOCÊ DESCOBRE QUE TA DE TPM

QUANDO VOCÊ DESCOBRE QUE TA DE TPM
(Victtoria Rossini)

Quando você descobre que ta de TPM?
Pode ter certeza...
Não é quando teu corpo incha
Teu apetite sexual fica mais intenso
Ou quando começam as cólicas

Você descobre que ta de TPM
Quando teu namorado faz tudo
Ao contrario do que você gosta...
Quando todos os carros resolvem
Ir ao mesmo lugar que você...
Quando todos os passarinhos
Resolvem vir cantar na tua janela as 6:00 da manhã...
Quando a empregada esquece tudooo
O que você ensinou...
Quando tua manicure
Resolve fazer bife da tua cutícula,
E todo mundo insiste em falar contigo
Quando tudo que você queria
É ficar quieta em algum lugar

Quando tudo isso começar acontecer
Pode ter certeza:
Você está de TPM.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

AGORA VÁ...


AGORA VÁ...
(Victtoria Rossini)

Vê se me erra
E desenterra
Tuas garras de mim

Não quero esse amor
Cheirando bolor
Que sempre acaba no fim

Cata teu rumo
Quero meu prumo
(Sem essa de paixão-destruição)

Ache teu caminho
Abandone o ninho
Que você desarrumou

Fico melhor sem você!
Será que não vê
Que o amor acabou?

Eu sei!
Porque quem ama não mente
Quem ama na trai
Quem ama não fere
E isso...Foi tudo
O que você me deixou.

ROTINA DE BORBOLETA

ROTINA DE BORBOLETA
(Victtoria Rossini)

Todos os dias nasço e renasço!
E todos os dias
Tenho meus minutos de lagarta
E minhas horas de borboleta
E quando lá
Vivo todas as minhas fases em plenitude

As tempestades são boas
Para desenvolver outros instintos
(Não preciso só da visão)

È no meio das mais cruéis tempestades
Que e nossos instintos afloram
E nos deixamos dirigir pela sabedoria

É no escuro do casulo
Que teço minhas asas
E planejo meus itinerários

Mesmo que meus invernos durem um dia!
Eles me são úteis e necessários

Quando minhas asas rompem a barreira do casulo
E minhas cores brilham ao sol
Meu corpo quente e apaixonado
Se lança à vida num vôo de gratidão

E beijo tudo
Abraço todos
Carrego polens
Vibro...

Sem medo de retornar ao pó

Porque quando meu corpo
A terra engolir
Minha alma
Já terá voado

SE VOCÊ CHEGASSE HOJE

SE VOCÊ CHEGASSE HOJE
(Victtoria Rossini)

Se você chagasse hoje
Me encontraria chorando
Olhos inchados
E coração sangrando

Se você chegasse hoje
Bateria na porta
E eu não atenderia

Se você chegasse hoje
O meu brilho não verias
Ainda estou no banho
(Preparando quem tu querias)

A vida madrinha
Atrasou os relógios
Adiou os encontros
Até eu me transformar
No amor que você sonha
Na pessoa que você precisa
Para enfim nos aproximar

Porque se você chegasse hoje
Nem iria me notar...

“_ Não perderei mais tempo
Para ser “o melhor do que sou”
Sei que logo... Ali na frente
Já tem alguém a me amar!”

SONHANDO ACORDADA

SONHANDO ACORDADA
(Victtoria Rossini)


Sim?
Ou não?
Não importa

Não vai ser pra sempre
Não será inesquecível
(Nada na vida é...)

Mas reconheço os sinais
Sei quando a vida me traz
Presentes em forma gente

Sinto...E de tanto sentir
Pareço estar só no mundo
Olhando a abóboda celeste
E entendendo tudo

Estendo minha mão...E te toco
Abro meu coração ...E te sinto
Sinto tuas mãos frias
As minhas viajaram milhas...
(Mas sinto)

Nada faz sentido
(Tudo sempre se desfaz)
Eu..Você
Nossos mundos
(Disparate)
Mas nos olhamos hipnotizados
Tentando manter
A lucidez da separação

Meus olhos turvos dormem abertos
Mirando a luz da manhã
Que entra pela janela

Meu amante
(Quem dera)
Que você acordasse aqui


* Para a série: Exercícios em terceira persona

terça-feira, 2 de novembro de 2010

ILUSÃO DOS SENTIDOS

ILUSÃO DOS SENTIDOS
(Victtoria Rossini)

Meu desejo tem
A propriedade de iludir
Meus próprios sentidos

Meus vícios obscuros
Por detrás dos muros
Meus fetiches
Fantasias
Crias
Do meu prazer

Que embalsamam minha lucidez
E deixam meu corpo
A mercê
Dos meus sensíveis
Terminais nervosos

Que se submetem
A trilha do teu toque
Que estremecem
Ao som da tua voz
Que revisitam frases
Que voam longe
E criam um imaginário
Para me render

FUGINDO DO PECADO

FUGINDO DO PECADO
(Victtoria Rossini)

Um anjo pecador
Com voz de cama
E sorriso sedutor
Se enroscou na minha rede
Se esfregou na minha pele
Até me dar calor

Um anjo libertino
De abraço entorpecente
Canta em meu ouvido
Versos obscenos
De amores sinceros
De prazeres sem limites
E “serei teu para sempre”

Tapo sua boca
(Não como eu queria...
Como desejo esse gosto!)
Não quero ouvir
Não quero sentir
Não quero saber
Não quero olhar

To fugindo do pecado..

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

CRIANDO ELOS

CRIANDO ELOS
(Victtoria Rossini)

Elos são criados com o coração...
Mas tudo em mim já tem lembranças tuas
Meu corpo já pensa em você
Independente da minha mente

A determinação com que você me caçou
A rapidez com que você entrou na minha vida
A intensidade de cada minuto que compartilhamos
É ininteligível
Para quem não vive
O que vivemos

Esperar você
Estar com você
Ter você
(Até ficar longe de você)
Tem um gosto especial
É como descobrir um tesouro
Que estava guardado
Só pra mim

Hoje estendo minha mão
Criando elos
Que espero:
Junte nossos corações

domingo, 31 de outubro de 2010

SEM MEDO DAS SOMBRAS

SEM MEDO DAS SOMBRAS
(Victtoria Rossini)

È porque a noite vem
Que aproveitamos dia...

É porque a sombra existe
Que podemos delinear os contornos...


È porque há o escuro em nós
Que nos direcionamos para luz...

(Afinal, a forma só existe
Porque luz-e-sombra coexistem)


Seguimos...
Sem medo das nossas sombras
Do nosso lado escuro

Aos poucos
E com fé
Vamos nos moldando
A essência sem forma
Onde nem a luz
Nem a escuridão
Fazem diferença !

Sem medo das sombras
Não quer dizer reverencica-la
Mas usa-la em nosso beneficio e crescimento!

ÔMEGA A ALFA ou DESCONSTRUINDO PARA NASCER

ÔMEGA A ALFA ou DESCONSTRUINDO PARA NASCER
(Victtoria Rossini)

Reuni numa só estrofe
Todas as loucuras do mundo
E juntos...Eu e tudo
Bailamos nus
Sapateando
Sobre o que o que os homens pensam ser sanidade

Sacudi de mim a castidade
A pena
A piedade
O controle
O juízo...
E apenas dancei

Quando a lógica quis se juntar
Eu os dervixes
Fizemo-la ajoelhar
E rezar pra nós
“...Isso é o todo da lei...”

EU SOU a lei e o veredicto
E todo dito
Terá que se escrever
Há sombra e luz sobre o abismo
E ali ele terá que nascer

Toda palavra verterá da boca do tempo
E se endurecerá no meu ventre
Ectoplasma a ceder
Forma, cor, cheiro,calor, número e peso
OMMMMMMMMMMMM
A fenecer

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

CAMPO DE BATALHA

CAMPO DE BATALHA
(Victtoria Rossini)

No meu campo de batalha
Não há morte
Nem destruição

Cada vitória é uma clareza
Cada movimento é uma evolução

As armas são minhas decisões
Meus medos
Minhas crenças
Meus sonhos
Minhas prisões

Há eu e eu

Minha consciência pende
De la cá
Daqui pra la
Oscilando entre a força e a desistência
A passividade e ação

"Que mérito há em querer vencer o mundo
Se eu não vencer a mim mesmo?"

E num grito que sobe aos céus
Declaro minhas intenções:
Que a paz em mim...Vença o ego
Que o amor em mim ...Vença a raiva
Que a sabedoria em mim...vença a ilusão

E todos os dias luto minha guerra santa
Numa fúria pagã
Pela libertação de quem EU SOU

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

DIA DE VULCÃO


DIA DE VULCÃO
Victtoria Rossini)

Hoje sou vulcão
Despejando lavras velhas
Sei que formarão ilhas
Continentes

Mas ejetar de nós velhas lembranças
Velhos relacionamentos dói...
Cortar o umbigo dói

Mas o que não nos alimenta mais
Não é bom pora nós
Temos que tirar da nossa vida

Nos apegarmos a coisas mortas
É auto sabotagem

Hoje vomito lavras
Para amanha poder ser lago
E refletir a luz em paz

domingo, 24 de outubro de 2010

HORA DA AÇÃO


HORA DA AÇÃO
(Victtoria Rossini)


As vezes não há nada a ser dito
Apenas a ser feito

E o mundo espera que os corações AJAM...
Porque a maioria do que está ai
A nossa volta
Está para nos ensinar
E para nos forçar
A tomar atitudes
Condizentes
Com a nossa natureza
De seres de luz

Quando nossas ações
Forem induzidas pelo coração
Em beneficio do todo
O mundo se iluminará

ABRINDO AS CARTAS NA MESA DO MUNDO

ABRINDO AS CARTAS NA MESA DO MUNDO
(Victtoria Rossini)

Vôo pela janela
Percorro a tela
Limpa do retrovisor
Do meu chapéu
Meu céu
Sem controle
Remota torre
De espiar

Procuro sob a cama
A dama
Que diziam que eu seria...
(Não fui)
Sou valete despatriada
Sem coroa
Sem cetro
Sou o louco do baralho

Ando só em atalhos
Porque absorvi o GPS
E minha mente tece
Caminhos que não escolhi

Mas percorro
Ou morro...
Essa é a graça de estar aqui

Paro
Me olho
E agora?
A quem vou explicar
O que vivo
O que vivi
Sei que ninguém vai acreditar
Fui todos os naipes
Passei por todas as casas
Cumpri todos os papeis

Agora cartomante
Viro todas uma a uma
E vejo o que estava ali
Observado-observador
Olho os olhos do tempo
E sopro...

Corro

E vôo pela janela
Percorro a tela
Limpa do retrovisor
Do meu chapéu
Meu céu
Sem controle
Remota torre
De espiar

sábado, 23 de outubro de 2010

ESCOLHAS CORRETAS

ESCOLHAS CORRETAS
(Victttoria Rossini)

Que os sonhos que eu persiga
me dêem paz...

Que eu não tenha medo
De desistir de muitos deles
Sabendo que a minha vontade
Nem sempre é a vontade do céu

Mas principalmente
Que eu não tenha medo
De persistir na maioria deles
(Achando que são grandes demais pra mim)
Porque quase sempre
A minha vontade
É a vontade de Deus

OBRIGADA MINHAS AMIGAS!

OBRIGADA MINHAS AMIGAS!
(Victtoria Rossini)

Obrigada às guerreiras aladas
Que o universo tão sabiamente
Me presenteou na minha vida

Que me incentivaram a voar
(Quando eu ainda me sentia uma lagarta)

Que me secaram as lagrimas
(Quando eu só conseguia soluçar)

Que limparam o sangue dos meus joelhos
(E mais tarde do coração)

Que me chutaram a bunda quando foi preciso
(Porque eu não sabia ver o meu valor)

Que me trocaram a roupa suja e me abriram os olhos
(Quando eu só via a minha dor)

Que me empurraram de volta pra vida
(Quando tudo o que eu queria era ficar embaixo da cama)

Obrigada amigas de infância
Amigas de horas
Amigas virtuais
Amigas eternas

Obrigada as guerreiras aladas
Que o universo tão sabiamente
Me presenteou na minha vida

Meu amor a vocês...

IRMANDADE ALADA


IRMANDADE ALADA
(Victtoria Rossini)

Frágeis seres
Que vivem pelo coração
Se alimentam de amor
E se equilibram nas cordas da emoçao

Mas quando juntas
Somos um exército!
Me ampare irmã:
Teus braços ..São minhas asas
Teu sorriso...Minha força
Teus conselhos...Meu mapa

Uma amiga
É mais que uma irmã
Muitas amigas
Uma irmandade

No farfalhar leve
Das tuas asas
Minha alma se levanta
E voa até o céu


Meu carinho.Meu respeito a todas as amigas que tive desde a infância e me ajudaram a ser o que sou!
\o/

EU NÃO SEI DIZER ADEUS

EU NÃO SEI DIZER ADEUS
(Victtoria Rossini)


Por entre as cercas dos meus cílios
Te vejo indo...
Sem nem dizer "Adeus"
Um desprender lento dos meus dedos
Um sussurro e um beijo
A sair dos lábios meus

Só fica a angustia do não dito
O “não se vá” engolido
E o meu amor...Aqui
Escondido

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

INDIGNAÇÃO VIRTUAL

INDIGNAÇÃO VIRTUAL
(Victtoria Rossini)

Navegando na web ela vê uma cena que a choca
Uma criança africana morrendo esquálida
“Ahh não posso fazer nada!...
Mas posso mostrar!
E numa fúria macabra
Cria folders, promoções, comunidades, vídeos, imagens

Observo e me pergunto:
(Será porque quer repartir culpa?)
(Será porque quer mostrar que tem alguém mais feio que ela)
(será porque quer mostrar que é boazinha?)
E nas sombras a feiúra e a maldade gemem
(Mais...Mais...Mais...)
E ela xinga os governos que não fazem nada
As pessoas que não se importam

Depois da uma ultima mensagem postada
Tranqüilamente desliga o computador
Abre a geladeira
Pega um sanduíche
E senta na frente da TV

Ela já fez a parte dela:
Espalhou a sua cota de feiúra no mundo.
Pequenos cliques
Para poluir mais mentes
E espalhar os frutos do mal

Do outro lado
A criança havia morrido
Faziam 5 anos
E havia cumprido o papel dela:
Viveu!
Viveu com toda a força e coragem
O tempo dela.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ASAS DE LUZ

ASAS DE LUZ
(Victtoria Rossini)

Asas iluminadas
Planam sobre o abismo
E na sua sombra misericordiosa
Seres cansados repousam

Uma chuva silenciosa de luz
Mata a sede
E cura seus corpos

Olhe para cima!
Erga as mãos...
Receptáculo de vida

Receba...
Absorva
Respire
Inspire
Sinta

A benção esta caindo
A vida esta fluindo
Das asas da águia eterna
Jorra alegria

Erga as mãos
E só agradeça...
Ela veio para ti
Descanse á sua sombra

Receba...
Absorva
Respire
Inspire
Sinta...

Asas de luz
Planam sobre o abismo

Agradeça...agradeça... Agradeça...agradeça...
Agradeça...agradeça...
Agradeça...agradeça...
Agradeça

A gratidão vai te conectar

Agradeça...agradeça... Agradeça...agradeça...
Agradeça...agradeça...
Agradeça...agradeça...
Agradeça

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

PONTES

PONTES
(Victtoria Rossini)

São tantas pontes...
São pontes para um passado conhecido
Mas que insiste em não ser esquecido

São pontes para um futuro desconhecido...
Mas que é certo
Nos levem elas para onde forem

São pontes que dão no nada
Surgidas de lugar algum...

São pontes que saem de dentro de nós
E nos ligam a outras vidas
Perdidas
Como nós
Que só se acham
Ao nos encontrar...

Ligações cármicas
Formando um tapete mágico
Que nos conduz a liberação
Ao acerto
A re-conexão

São pontes que vêem de outras vidas
Querendo encostar na nossa.
Algumas derrubamos machadadas
outras colamos com cimento do amor...

Pontes
Caminhos
Passarelas
Passagens secretas
Túneis
Encontros
Nos ligando a eternidade

Somos apenas...Pontes...

SONHOS SECRETOS

SONHOS SECRETOS
(Victtoria Rossini)

Não que acreditemos em amores eternos...
Mas esperamos que exista

Não que acreditemos em fidelidade...
Mas esperamos que alguém nos seja fiel

Não que vejamos todos os dias casais felizes...
Mas desejamos ardentemente ser um deles

Não que seja comum alguém nos amar
Sem esperar ser retribuído
Amar em segredo
E mesmo assim ficar do nosso lado
Esperando pra nos proteger
Nos cuidar
Simplesmente para estar perto
(sabemos que não existe...)
Mas mesmo assim sonhamos...
Ahh se sonhamos!

domingo, 17 de outubro de 2010

A VOZ DOS ENVIADOS


A VOZ DOS ENVIADOS
(Victtoria Rossini)

Minha alma chora pelos meus filhos
(Mesmo que em mim mesmo
Nunca tenha sentido dor)

Vejo seus corpos cansados
E percebo suas desesperanças

Cansaram de lutar
Porque não sabem porque o fazem

E o trono permanece vazio
Sem seres para cantar
Sem vozes para louvar
Porque eles não consegue chegar até aqui

Caem pelo caminho
E nem sabem porque estão aí

Estou mandando meus anjos
Vestidos de crianças

Eles falarão de coisas que vocês nunca viram
Cantarão canções que os farão chorar
Porque dentro de vocês
A lembrança acordará
Recordações do paraíso...
Suas vozes os despertarão

Ouçam...Ouçam o chamado
Fechem os olhos
Absorvam as palavras
Sintam a freqüência
Deixem suas vozes
Os reconduzirem até mim
E venham...
Venham para casa!

sábado, 16 de outubro de 2010

ALMA ENTREGUE

ALMA ENTREGUE

(Victtoria Rossini)



Adoro a forma
Como você me da prazer
Nas mínimas coisas


No colorida das tuas faces
No sorriso da tua boca
No brilho dos teus olhos

(Meu poema do dia-a-dia...)


A forma como você se entrega pra mim
É profana
Mesmo que venha vestida
De véus e castidade


Amo o modo
Como me abraças
Sem nem mesmo
Me tocar

SEM REPLAY

SEM REPLAY
(Victtoria Rossini)

Por favor não me fale de mortos!
Chega de corpos
Empilhados no meu coração!

Quero nascimento
Quero festa
Acordar com seresta
E perfume de amor

Cansei de viver miando pelos cantos
Me rolando no chão enquanto
Os outros dançam
E gemem sobre o colchão

Se o fogo apagou
Se o calor se foi,
Abandono o canto
Seco o pranto
E vou pra onde o sol vai

Não digo “nunca mais”!
Mas pode ser...quem saberá?
Tem coisas que só o tempo dirá.

Só sei
Que já andei por essa rua
E cai no bueiro

Cansei do cheiro
E da lama que sobrou

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

EXERCÍCIO ZEN: ELIMINANDO OS EXCESSOS

EXERCÍCIO ZEN: ELIMINANDO OS EXCESSOS
(Victtoria Rossini)

Não se pode ensinar nada
Pra quem acha que ja sabe tudo...

Não se pode pôr água
Em recipiente já cheio

Quando algo extravasa de si
Só pode se derramar.
Seja em dor
Ou seja em amor

A paz esta no silêncio
E na liberdade
De se ser
O que se é...

Sem excesso de palavras
Sem acumulo de informações
Sem gestos exagerados
E sem achar: Já aprendi!

Viver como uma folha em branco...

Com a calma do mar
Que mesmo batendo
Por milênios na mesma pedra
Nunca a encontra na mesma forma
Já que os dois (...)
Estão em eterna transformação.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

DIA DE CRIANÇA


DIA DE CRIANÇA
(victtoria Rossini)

Dia da criança
Dia DE criança...
Todos os dias deveriam ser dia da criança
Dia de brincar
Dia de gargalhar
Dia de rolar
Dia de ser feliz sem mais responsabilidades
Do que crescer saudável

Mas até no dia da criança
Queremos voltar ao nosso próprio umbigo
E queremos que ele seja
“O dia da criança que vive em mim!”

Que tal deixarmos esse dia
Para as crianças que nunca se tornarão adultos?
Que nunca terão filhos?
Que nunca envelhecerão?
Porque a pobreza, a fome, a violência
Nunca deixarão que elas cresçam?

Que tal usarmos esse dia para proporcionarmos
Um dia De criança a quem nunca pode ser criança?
Quem tem pouca idade, mas não É ser criança
Porque tem que trabalhar
Porque tem cuidar dos irmão menores
Porque nunca teve um brinquedo
Porque NEM sabe
Que deveria ser tratado como criança.


Nem todos tiveram a oportunidade de SER criança
Como nem todos terão a benção de envelhecer.
Nem que seja hoje
Tente devolver a infância a uma criança!
Hoje faça uma criança feliz!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

QUERO MAIS!

QUERO MAIS!
(Victtoria Rossini)

Teu corpo me sussurra segredos
Que mesmo acendendo meus medos
Eu só penso em transgredir


Quando você me fala
Essas coisas e me olha
Perco toda santidade
E me torno só pecado
Pronta pra dividir
As delicias todas da carne
Santa ceia e elixir


Mas quero mais!...
Eu não quero só teu corpo
Não quero só tua cabeça
Minha parte preferida
Sempre foi o coração

LONGE..MAS SEMPRE PERTO

LONGE..MAS SEMPRE PERTO
(Victtoria Rossini)

Cante pra mim
O som que você ouves ai dentro do teu coração
Não importa se for alegria ou dor
Já chorei contigo
Já gargalhei...
Já dormi segurando tua mão
Enquanto você se curava

Grite pra mim
A angustia que te asfixia o peito
Mesmo aqui longe
Eu a sinto...
Eu vejo tuas lagrimas
E conheço teu desespero
Chame meu nome
E a escuridão sumirá
Porque vais lembrar
Das luzes que víamos juntos

Suspire pra mim
Sentirei na nuca
Quando tua respiração me alcançar

Lembre de mim
Que imediatamente meu coração saberá

Estarei aqui
Sempre que você precisar

E mesmo que nem precise
Meu coração vai te amar

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

CAMA EM CHAMAS

CAMA EM CHAMAS
(Victtoria Rossini)

Quem chamou bombeiros?!
O0
Suspende...
Eu quero é incendiário mesmo!

Quero ver Roma em chamas
Lençóis ardendo sobre a minha cama..
E línguas de fogo
A me percorrer

Quero a insanidade dessas fagulhas
Que me deixam novamente pura
Paixão, volúpia e prazer

Me ateie fogo
Me faça arder
Feiticeira condenada
A morrer amordaçada
Na praça
Pra todo mundo ver

Não queiram ouvir meus gemidos
São delírios sem sentido
Êxtases de enlouquecer

Fique olhando...
Morrerei quietinha...
Sinta meu corpo
Desfalecer

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

ENCONTRO DE AMOR

ENCONTRO DE AMOR
(Victtoria Rossini)

Minha alma
Não cabe em mim
Ao medir a medida do amor
Que você construiu pra nós

As vezes vago
Nas vagas do tempo
E o silêncio
Me conta historias
De ti...E de mim

Mas nem ele sabe
O quanto vale
Viver...E te amar!

Cada vez que venho aqui
E olho tua alma vertendo em letras
Choro poesia


Para Joaninha Atrevida:http://entrefolhasfloresfrutosepoesia.blogspot.com

A ESPERA DE UM NOVO AMOR

A ESPERA DE UM NOVO AMOR
(Victtoria Rossini)

Passaram-se os dias...
Amores vieram
(E pensei que seria para sempre)
Amores se foram
(E pensei que jamais amaria como antes)

Mas eu e meu coração
Estamos tão amantes
E apaixonados quanto sempre

Descobri
Que o que eu amo mesmo
È amar!
Quem eu amo mesmo
É a mim e a quem me faz feliz

Nasci sozinha
E sozinha partirei...
Enquanto isso
O amor me tira para dançar

No momento estou sentada a beira do lago
Esperando a próxima onda vir banhar meus pés
E as pétalas da sakura aderirem a pele

Então novamente me vestirei de sonhos
E sairei pelo mundo a voar

QUANDO O AMOR TE ACHA

QUANDO O AMOR TE ACHA

Quando o amor bate á porta
Os cadeados são estourados
Os preconceitos derrubados
E só o sentimento é que importa

Frente ao amor
Todo conhecimento é inútil
Todo dinheiro é fútil
E não importa a idade, o nível, a cor

Se o amor te acha
Simplesmente te enche de graça
E tudo tem mais sabor

E não precisa se entregar...
Ele mesmo vai te derrubar
E mostrar seu esplendor

*

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

ENCONTRO DE ALMAS

ENCONTRO DE ALMAS
(Victtoria Rossini)

Que nossas almas se abracem
Nosso espírito se escute
E possamos aprender juntas
Como sempre foi

A voz do mundo pousou aí
Na tua boca
E sopra pra mim
Canções da vida eterna

Ouço o chamado
E te sigo
Noite a fora na escuridão
Mirando tuas pegadas
Que brilham pelo chão

Não foi em vão
Que te segui
Não foi ilusão
O que me trouxe aqui

A vida sabia
Que tu virias
Só me mandou
Para te abraçar
E refazermos os laços
Que nos levantariam
Até o paraíso

Aqui é céu...Porque tu estas aqui!


(Para a mulher que sempre está comigo há muitas vidas)

O AMOR EM MIM

O AMOR EM MIM
(Victtoria Rossini)

"Nós" amamos!!
O amor nos pertence!...

Outras pessoas apenas estão "aqui"
no nosso coração,
no nosso lugar de amor
ocupando o espaço
e vibrando na nossa emoção...

Pessoas "estão " nosso amor!
Mas não são o nosso amor.
O amor é a Divindade em mim

Pessoas vem
Pessoas vão
Mas aqui dentro
Nunca acaba a emoção

Quem ama sou eu
Quem acolhe sou eu
Quem sonha sou eu
Mil amores vieram
E milhões passarão
Mas o amor que eu tenho aqui
Se aperfeiçoará
Se transformará
Me ensinará
E apaziguará...
Fazendo de mim
Um ser melhor.

Essa é a função do amor
Me transformar
No melhor
Que eu puder ser

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

SE AUTO GERANDO...

SE AUTO GERANDO...
(Victtoria Rossini)


Há anos vejo seres rastejando
Porque nasceram sob signo de terra
Sem chão “porque nasci mesmo num signo de ar”
(E conformam-se em uma sub-vida)

Você pode ter nascido sob o signo que for
Ter ganhado os números que ganhou
O sol pode ter estado cá ou la
Na hora em que você encarnou

Mas você nasceu com o maior poder de todos:
Livre arbítrio
(Nem aos anjos foi dado tanto)
E isso te da o poder de auto-regeneração

Se recrie!
Se reinvente!
Se monte!
Se determine!
Sem isso você sempre será vítima das circunstâncias
Refém do que você acha ser o teu destino!

Se você tem uma vida como tem
É porque compactuou com as situações
E aceitou isso para tua vida...

Se rebele
Faça nascer um novo eu
Que não precisa se olhar em horóscopos pra ir trabalhar
Consultar numerólogos pra aceitar o nome que tem
Nem ver vidas passadas pra melhorar hoje!

Você tem o absoluto poder
De decisão
De transformação
De recriação da tua pessoa
Da tua personalidade
E do teu destino

Decida hoje
Ser a pessoa que você quer ser
Não a vitima de tal signo
De tal elemento.

Comece hoje ...
Hoje é dia de RENASCER!!

sábado, 25 de setembro de 2010

O NOME DOS ANJOS (A UNIDADE)

http://www.youtube.com/watch?v=21bVkNLnvVk

O NOME DOS ANJOS (A UNIDADE)
(Victtoria Rossini)

Uma das grandes surpresas
Que tive ao ver pela primeira vez anjos
Foi pela forma como se “nomeavam”

Sou observadora
E isso até hoje me intriga
(Por isso parei para escrever sobre o assunto)

Mas hoje
Depois de anos de percepção entendo...

Sempre os ouvi
Se referindo a si mesmo
(mesmo que eu só visse um)
Como NÓS

Nunca os ouvi se referindo a ninguém
(Nem pessoas ou seres)
Como eu-tu-ele-vós-eles-alguem-outrem-ninguem

“Nós somos tudo o que há”
Quando a “onda de luz”
Se movimenta e age
Sempre se refere a si mesmo como NÓS

(Quase sempre os vejo
Como milhões de micro-estrelas
Formando um corpo em movimento
Como se fosse uma constelação
Com varias entidades e vozes
Cantando, sorrindo (sempre), e batendo palmas
Como se fosse o som de muitas águas
E espocar de fogos)
Com personalidade diferenciada
(Dependendo da ocasião)
Mas sempre “eles” (a forma angélica)
Se chama a si mesmo de NÓS.

Foi observando-os
Que entendi sobre unidade

Depois que cresci que entendi:
Como poderia um quark
Um próton
Um nêutron
Ou um elétron
Olhar para si mesmo e dizer:
_Eu sou um próton!
_Eu sou um elétron!
_eu sou um nêutron!
Ou
_Eu sou uma molécula de água!
???

Ou uma molécula de água
Consciente de quem é dizer:
_ Eu sou uma molécula de água!
_ Eu sou o elétron do hidrogênio!
_Eu sou o quark da trinca de prótons do oxigênio!
???
Se ele souber que é uma gota
De um dos oceanos
De um dos planetas
Que num segundo é água
No outro ar
No outro fogo?
??????

Só nós homens
Na nossa dureza perceptiva
De identidade separada
Soubemos separar
Eu-tu-ele-nós-vós e os outros.


Postagem original: http://victtoriarossini.blogspot.com/2010/01/o-nome-dos-anjos-unidade.html

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

PARA "A VOZ" NÃO HÁ SONO

PARA "A VOZ" NÃO HÁ SONO
(Victtoria Rossini)

Para a voz não há sono
(Ja que não há quem durma)
Para a verdade não há ignorância
(Porque ela abrange tudo o que é)

Ela sempre Soa!
Mesmo enquanto durmo: A voz soa
Posso fingir q não a ouço
ignorar
Mas "a voz " é initerrupta ...
Mesmo os surdos a escutam
mesmo que não saibam bem o que é
Ja que não tem com o que comparar

O sono é mais uma das ilusões da mente
Assim como a ignorância
Sempre soubemos de tudo!
Sempre ouvimos tudo
É apenas uma questão de foco na voz
Atenção na mensagem

Ou ela sera apenas
como um córrego
que passa por nós
Não que não o ouçamos
Apenas não estamos conscientes dele

"A voz" sempre esta la!
Além do sonho
Além do sono
Além da morte
Além da ilusão
"A voz" sempre soa AQUI

ÊXTASE EXPERIMENTAL

ÊXTASE EXPERIMENTAL
(Victtoria Rossini)

Viviam os ratos?
Ou sobreviviam?

O laboratório era grande...
"É o mundo"
Diziam eles.
E corriam da jaula para o bebedouro
Copulavam
Brigavam
Dormiam
Brincavam...

Mas sempre...sempre
Esperando “ a presença”...
Esperando alguém vir os alimentar...
As vezes vinham anjos de branco
As vezes guerreiros de um uniformes brilhantes

Mas as vezes, ele o grande pai vinha em pessoa.
Olha!
"Deus está vindo!"
E ficavam hipnotizados
Coração a estourar em êxtase:
_ “Ele nos ama!”
E ficavam ali fascinados
Ouvindo o veterinário falar...

terça-feira, 21 de setembro de 2010

HÁ TEMPO PARA TUDO

HÁ TEMPO PARA TUDO
(Victtoria Rossini)

Chega um tempo
Em que os homens acham que sabem tudo
E esquecem de pedir orientação

Chega um tempo
Em que os seres acham que são sozinhos
E esquecem a compreensão

Chega um tempo
Que os homens pensam que podem tudo
E esquecem a cooperação

Chega um tempo
Que os homens acham que são perfeitos
E esquecem o perdão

Chega um tempo
Que os homens acham
Que a vida é só o que se vê
E não precisam de proteção

Alem do alcance dos nossos olhos
Alem de qualquer ilusão
Há um infinito em ebulição...
Não o ver
- Não significa que não exista-
Apenas prova
Que pra certas coisas
Há mais cegueira do que visão

Chega um tempo
Em que até o maior ateu
Vê a glória dos céus
E se curva em adoração

OUVINDO O TODO

OUVINDO O TODO
(Victtoria Rossini)

Tudo tem vida!
Por mais que pareça pedra
Se você souber a musica certa
Até os montes vão dançar

Aprenda a sílaba sagrada
Descubra o nome secreto
De tudo aquilo que há...

Então o sol será teu amigo
E o vento te responderá

Quando o invisível te chamar:
Não te omitas!
Tão claro quanto o dia
A luz da lua te ouvirá
E sorrindo cantará pra ti
Cânticos do despertar

ILUSÕES DE ÓTICA

ILUSÕES DE ÓTICA
(Victtoria Rossini)

Já vivi vendo tudo tão de cima
Que não pude pescar alguns peixes

Já vivi olhando tudo de baixo
Que não soube que eu
Era quem firmava o mar

Já generalizei
Já particularizei

Já tive visão de gato
Onde não delineava as formas
Do viver humano

Hoje me conformo
Eu não ser o mar
Já não choro
Pelo que não pude pescar

Mas trabalho pra alimentar muitas bocas
com muitos tipos de alimentos
Uns nutrientes
Outros nem tanto.
E uso a palavra com um espelho
Em que outros seres se reconheçam.

Apenas um pescador?
Apenas babá?
Um super telescópio?
O peixe ou a água do mar?

Não me importa...
O que eu quero
É alimentar.
Mesmo sabendo
Que tudo que se vê
É apenas...Ilusões de ótica

A PROCURA

A PROCURA
(Victtoria Rossini)

O que eu busco?
...A mim!
E relembrar tudo que eu já sabia
Tive amnésia temporária
Que já dura varias vidas!

Culpa da minha ganância
Da minha sede de poder
Da minha desenfreada busca por saber

Perdi a mim mesma!
Esqueci quem eu sou
Esqueci como ser eu
Perdi a força do dragão
E só tenho visões do paraíso

Eu busco quem EU SOU harpista!
Toque...Para eu lembrar

domingo, 19 de setembro de 2010

NAVIO NEGREIRO

NAVIO NEGREIRO
(Victtoria Rossini)

No navio negreiro
A morte é o cheiro
Que exala no ar

Tombou a coragem
Todos sabem que a viagem
Acaba no mar

Não é o início
É apenas o prelúdio
Da vida zumbi

Já estão todos mortos
Apenas vêem seus corpos
Se arrastando por ali

Não há vida nos olhos
Não há fogo nos ossos
Nem vontade de lutar

A energia se esvaiu
Apenas o que ninguém viu
É onde ela foi morar

A única sensação
Que se espalha no porão
É que a vida os abandonou

Morreram esposas
Morreram maridos
Perderam os filhos
Seus entes queridos...
Todos morreram...
Só eles estão ali
Pra não morrer nunca mais

Ali a morte não chega
Nem pra dor há mais lugar...
E o navio negreiro
Continua navegar

É um barco fantasma
Cheio de almas
No limbo a penar

(Quem tiver ouvido para ouvir...Ouça)


* Postagem original: http://victtoriarossini.blogspot.com/2009/01/navio-negreiro.html

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

MEIAS VERDADES...INTEIRAS MENTIRAS?

MEIAS VERDADES...INTEIRAS MENTIRAS?
(Victtoria Rossini)

Eu acredito em tuas mentiras.
Concordo e ainda rio...
Mesmo sabendo que são mentiras

Sou culpada por você ser mentiroso?

É a vida baby!
A vida é feita de ilusões
Apenas temos que escolher
Em quais acreditar

Decidi te acompanhar estrada a fora
Porque gostei do teu sorriso
Não das tuas verdades

Nem por um minuto elas me enganaram
Eu sei exatamente quem você é...
Mas decidi seguir contigo.

Então vamos calar!
Me de a mão e siga cantando
Vamos rolar de tanto rir
Saltar em abismos
Gozar
Dançar
E deixar as verdades para nós mesmos

Porque eu sei
Exatamente quem você é
Sem precisar que você me diga
E Por te conhecer assim
Sem as tuas descrições
Que decidi te acompanhar


PS:Eu te aceito
Porque mesmo que você não saiba
Ou não goste de quem realmente você é
Eu sei quem é você
E gosto de você assim mesmo!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

VOCÊ QUER CHORAR POR MIM...

VOCÊ QUER CHORAR POR MIM...
(Victtoria Rossini)

Você quer chorar por mim...
Você quer culpar o céu
Deus
O mundo
Por não ser feliz.
E não soube reconhecer
Quando os anjos cantaram pra você

Você quer chorar por mim...
Mas quando estou em teus braços
Você dorme
E esquece de me abraçar

Você quer chorar por mim..
Chore!
Eu caí da cama baby
Eu acordei com a asa quebrada

Você quer chorar por mim...
Agora chore!
Estou partindo
E levarei comigo a magia
Que nos fazia
Sonhar com o céu

Você quer chorar por mim...
Você nunca quis sorrir comigo
Então chore baby
Eu estou partindo

LIVRAI-ME (OU DAI-ME) A TENTAÇÃO?

LIVRAI-ME (OU DAI-ME) A TENTAÇÃO?
(Victtoria Rossini)


Olhando a cidade la embaixo
E o tempo me engolindo aqui
Rogo aos céus por um tanto de lucidez:
Ohh lucidez!
Caia sobre mim!
Me faça separar o sonho e o desejo
E no uso pleno da minha razão
colocá-los no seu devido lugar

Que meu corpo não viva em fantasia
Que eu saiba separar a utopia
Antes que minha carne
Caia em tentação

Sinto o vento
Da tua boca se aproximando
Temo o arrepio
Espero pelo toque
Fujo dele...
Corro para...
E agora?
Só tua lembrança já é tocha
A incendiar meu desejo

Olho a cidade dormindo...
E peço paz - e um pouco de lucidez -
Para não me afogar nos meus pecados
Para não sucumbir aos teus caprichos
Para não fazer de você meu vício
E me deleitar na fogueira do teu corpo
Fazendo de ti...Minha perdição

domingo, 12 de setembro de 2010

ESPECTRO

De Poesias editadas

ESPECTRO
(Victtoria Rossini)


Eu sou a mão que aponta
A ponte
Da passagem entre os mundos

Eu sou a voz que canta
No escuro da noite
Para guiar os sem bússola

Eu sou lanterna
Colocada estrategicamente
Na floresta fechada

A sibila pagã
Descalça e sem nome
Que conhece o caminho
Estende a mão

Não persiga meu olhar...
Siga os sinais e achará o caminho

sábado, 11 de setembro de 2010

VAI EM PAZ!

VAI EM PAZ
(Victtoria Rossini)

Sei que nunca vou te esquecer!
Mas também isso, já não tem importância
Porque você teve o cuidado de preencher
Os espaços vazios, a distância
Entre eu e você
Com dores, traições, displicências e falta de atenção

Sofro
Mas pra ser sincera
Sofro menos sem você
Do que com você

Sei que me amou
Sei que te amei
Mas amor que não é cuidado
Definha ou muda de direção

Ainda amo!
Mas aprendi amar a mim
Me valorizar
Me cuidar
Me preservar
E fazer que você não faz por mim:
Me fazer feliz!

ME POUPE DO QUE VOCÊ ACHA SOBRE MIM

ME POUPE DO QUE VOCÊ ACHA SOBRE MIM
(Victtoria Rossini)

Por favor!!
Não me dêem receita de lucidez!

Sou metamórfica e abstrata
E assim quero viver
Rodeando todos os ângulos de mim mesma
Enfiando a lupa nas minhas cicatrizes
E cheirando minhas flores
Até a alucinação

Não preciso dos teus conselhos
Dos teus comentários
Das tuas idéias
Das tuas conclusões...
Pra mim elas são nada!

Se quiser beba-as
Grite-as nas praças
Pregue nas portas
Pinte outdoors
Mas não me ofereça!

Prefiro cicuta
Prefiro a dor da experiência
O prazer dos meus orgasmos
Por saber que ousei
Tentei
Errei
Acertei
Mas no fim
EU vivi
E não você por mim

Então recolha-se a tua insignificância!
Aqui na minha peça
Eu sou a escritora
A protagonista
E a platéia...
E quando meus olhos fecharem poderei dizer:
Aprendi!

Deus salve os loucos
E os inocentes
Que não querem pensar
Nem viver por mim

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

ANTES DE IR

ANTES DE IR
(Victtoria Rossini)

Antes de ir...
Beije-me!

Quero levar comigo teu gosto
E sentir tua presença onde eu for

Antes de ir...
Diga que me ama!

Quero saber o quanto de mim
Ficou em você

Antes de ir...
Olhe em meus olhos!

Quero que saibas
Que onde eu estiver...Você estará
Porque vives dentro de mim

TEMPO DE RECLUSÃO



TEMPO DE RECLUSÃO
(Victtoria Rossini)

Escondida por trás das minhas paredes
Encouraçando a pele
E espiando a vida pela janela

Um tempo de silêncio
De reclusão
Pra fortalecer as decisões

Da quietude virá a minha força
Da solidão as novas rotas do meu caminho

Nada é definitivo...
È apenas um tempo para entender meus rumos
E me entender com meu coração

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA

QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA
(Victtoria Rossini)

Cada um sabe do que tem medo
Se de beijos... Ou de balas
Cada um sabe
O que pode lhe matar

Questão de sobrevivência.

Uns sucumbem as armas
Outros a pena
Outros a sua própria sensualidade

Tem sentenças
Tem palavras
Tem sentimentos
Tem relacionamentos
Que podem nos matar

Instinto de sobrevivência...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

FÊMEAS DÚVIDAS

FÊMEAS DÚVIDAS
(Victtoria Rossini)

Seremos nós fêmeas
Sedentas de algo impalpável
Que só a nós é visível?

Seremos nós as portas do paraíso
Entreabertas a visão dos sonhos
Onde poucos homens podem entrar?

Seremos nós famintas
Da energia ilimitada do amor
Que nos alimenta e nos move
E só as fêmeas podem sentir?

Será esse sentir que nos abre o apetite?
Um querer sem limites
Que homem algum consegue satisfazer?

Ou queremos algo mais?
Algo que só as fêmeas vão atrás:
O sexo e amor sagrado
Das deusas da vida
Sempre abertas
Sempre famintas
Abraçando o mundo
Sempre indo mais fundo
...À morada do amor...

ENGANANDO A SAUDADE

ENGANANDO A SAUDADE
(Victtoria Rossini)

Cada dia com vc é especial
cada hora é unica
E cada minuto longe é saudade

Estou treinando meu coração
Pra não estourar com a distância
A suportar tua ausência
E mesmo assim...Acreditar em nós

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

PÁSSAROS DE SONHOS

PÁSSAROS DE SONHOS
(Victtoria Rossini)

Porque sonhamos com pássaros de sonhos?
Imagens fugazes
Que apenas penas voam
E hipnotizadas juramos ser fênix

Corremos atrás
E nos atolamos em pântanos
Nos afogamos em lágrimas
encharcamos nossos vestidos de dor...

Quem armará uma armadilha
Algo simples que me diga:
“_ Acorde cinderela, o pesadelo acabou!!?”

Ajudem-me!
Porque cada vez que acordo
Na gaiola estou eu
Prisioneira dos meus próprios sonhos
...Refém de mim...

Os pássaros?
Voaaaaaaram
Partiram assim que o sol raiou!
Eram só sonhos...
E um vazio que ficou

Sei que são apenas sonhos!

Mas atrás deles nos perdemos
Achando que são reais

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O SILÊNCIO EMBALSAMA-DOR

O SILÊNCIO EMBALSAMA-DOR
(Victtoria rossini)

Ouço o silêncio embalsamando um amor...

Reverentemente
Trago-lhe flores e o desejo de esquecimento eterno...

Que sei...
Nem o tempo será capaz de dar-nos

Quando a dor da separação passar
Que eu possa me ajoelhar
E agradecer pelo bem que tive

Hoje nem lagrimas tenho mais
Nem culpas a pedir que leves
- Ninguém pode ser culpado
Por não saber amar-

domingo, 29 de agosto de 2010

CAMA DE ROSAS...CAMA DE ESPINHOS



CAMA DE ROSAS..CAMA DE ESPINHOS
(Victtoria Rossini)

Esquecer como??
Quando se carrega o amor sob a pele
Costurado
Entranhado
Tatuado com dor, fogo e paixão?

Me rasgo
Me arranho...
Ensaio exorcismos e separações
Mas apenas me retorço em espasmos
Que me derrubam
Anulando todas as decisões
Que tomo de partir
E me libertar de você
...Frágeis decisões
Que se não acabam em lagrimas
Acabam na cama...

Ohh lama...
De rosas rubras esmagadas sob suspiros
Lavadas a suor
E deixadas secar ao sol do tempo

Daqui a alguns anos voltarei para juntar as pétalas secas.
E não me espantarei
Se dentre elas
Algumas sobreviverem
Tão vivas e frescas
Como o dia de hoje...

Só sei que quando me levanto
Levo no corpo a tatuagem em sangue
Da nossa cama espinhada
Com as rosas rubras da paixão

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

DE LAGARTA A BORBOLETA

DE LAGARTA A BORBOLETA
(Victtoria Rossini)

Sou borboleta!
Mas por ter sido lagarta
Sei o quanto metamorfoses doem.

Como lagarta
Cada perna que arrastei
Me ensinou algo

Foram passos longos
Alguns duraram dias...
Mas eu precisava


Cada folha que mastiguei
Só aproveitei delas
O que meu corpo pode absorver

Só o que assimilamos
Do que vivemos
Faz parte de nós

Só o que nos transforma
Em seres melhores
Vale a pena ser repetido

E o que não nos acrescenta mais nada
Deve ser largado conscientemente
Para seguirmos nosso caminho

Velhos casulos secos
Na beira da estrada
Também tem sua historia

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

MULHER DE PODER

MULHER DE PODER
(Victtoria Rossini)

Ela sabia
Que viver para o Poder
Era uma onda sem volta

Sempre escutou:
“Todos temos livre arbítrio
Mas quando se escolhe esse caminho
O caminho nos absorve
E somos levados por um poder maior
Não as experiências que escolhemos por prazer
Mas a ter experiências que nos dêem o aprendizado
Que temos que desenvolver
Para retornarmos a nossa totalidade”

Mas sempre pensou
Que aprenderia tudo para usar o poder.
Até que um dia descobriu
Que era o Poder que a usava!

Nesse dia cortou as longas tranças
Jogou fora a identidade
E se entregou:
_ Se já não sirvo as minhas vontades
Que a força que vive em mim
Use a totalidade do que sou.

Nesse dia ela se tornou
Uma mulher de poder

SOU MINORIA

SOU MINORIA
(Victtoria Rossini)

A voz não sai da boca
Já que essa voz não é só minha.
Mas nisso não farei silêncio.
Gritarei as palavras dementes
O som dos inocentes
Que não tem tom
Nem voz
Para exprimir-se
Nem para se defender

Sou a minoria
Sempre fui
Não elejo presidente
Meu voto não consente
Com o que vejo por ai
Não concordo com preconceito
Nunca assino no que esta feito
Nem brigo para oprimir

Já que a justiça é cega
Que lhe arranquemos a venda
Ela não vê nada mesmo
Que sejamos nós seus olhos
Que arranquemos os ódios
E a balança de suas mãos
Ela tem dois pesos
E usa duas medidas
Uma em ouro
Outra em pedra
Para punir os pecados
Dos que não lhe podem pagar

Uso os olhos que tudo vêem
E ponho sobre as minhas crianças.
Crianças órfãs de conhecimento
Crianças adultas sem alento
Sem ter para onde correr
Sem ter para quem reclamar.
Porque a Grande Mãe Pátria
Se prostitui a quem dá mais.
Arranquemos suas roupas
Para cobrir a vergonha dos inocentes
Que dormem nas ruas
Que comem papel
E dos que mesmo tendo tudo
Se fingem contentes
Porque já não há mais para onde ir.

E agora? pergunto eu....
Quem me ouvirá?
Porque eu....
...Eu sempre fui minoria!!

-------------------------------------
( http://victtoriarossini.blogspot.com/2008/01/sou-minoria.html )

CLOSED

CLOSED
(Victtoria Rossini)

Então tah...
Feche as cortinas
Te isole no teu mundo
Corte os pulsos
E chore porque ta sozinho
Porque ninguém te entende
Porque ninguém nunca te ajudou

Culpe todos
(E se esqueça que as tuas portas
Foi você quem fechou)
Talvez assim morra em paz
Culpando o mundo
Os outros...

Mas não esqueça que por trás das cortinas
Os olhos da verdade nunca estão fechados
E são eles
Que te acusam...De deserção

domingo, 22 de agosto de 2010

O ENCANTADOR DE SERPENTES

O ENCANTADOR DE SERPENTES
(Victtoria Rossini)

Nunca mire nos olhos
Do encantador de serpentes!

Ele aprendeu o oficio com as najas

E nada que você faça
Poderá te libertar
Do sorriso cheio de estrelas
Dos olhos cheios de braços
Que te atraem
Sem você notar

E quando aquela voz soar
Tape os ouvidos:
Ou é ele que vai te encantar.
Quando sentires a tontura
E o mundo todo girar
Saiba: E para os braços dele
Que você vai se atirar

E u não digo nem : Resista!
Muito menos: reflita!
Só digo: Nunca mire nos olhos
Do homem que quer te encantar

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

REVOADA DE SONHOS

REVOADA DE SONHOS
(Victtoria Rossini)

Assustei-me quando o sol nasceu
E vários sonhos que habitavam meu ninho
Saíram em revoada...

Será que eles cresceram e já podem voar?
Mas como podem me abandonar
Depois de eu tê-los chocado
Com tanto empenho dentro de mim?

Sentei e chorei...

Perdi tanto tempo por nada?
Me afeiçoei aos desejos
Que todos os dias ME alimentavam

Passei o dia desanimada...

Mas quando a noite chegou
Trouxe outros sonhos
Que aqui agora
Fazem morada

Observando suas revoadas
Descobri que sonhos também tem tempo de vida
Tem função
Tem órbita
Tem parada

Agora todos os dias
Recebo os novos que chegam
Afago os que me ajudam
E sei
Que eles também
...Passarão...
Voem livres

terça-feira, 17 de agosto de 2010

URGÊNCIA DE BORBOLETA

URGÊNCIA DE BORBOLETA
(Victtoria Rossini)

Veja a urgência da borboleta!

Num dia rasteja
No outro festeja
O orgasmo da flor

Agora se espreguiça
E sua vida grita
Chamando pelo amor

É tudo AGORA!
Porque quando o sol se por
O que tinha que ser...Já foi

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

FENIX ETERNA

FENIX ETERNA
(Victtoria Rossini)

Se a tua vida é morta
Não queira me condenar ao teu tédio.

Tenho asas
Que batem ensandecidas
E querem voar

Não temo riscos
Não temo quedas...
Sou fênix eterna!

Minha natureza é o infinito
Meu tempo o eterno
Meu grasnar é gargalhada

Mesmo quando caio
Caio mirando o céu
E queimo meu velho eu
Para renascer gloriosa

Nem tente
Me amarrar ao chão
Porque o meu destino
É as alturas...A imensidão

ENCONTRO MARCADO

ENCONTRO MARCADO
(Victtoria Rossini)

A noite...
Só a noite nos encontraremos nos becos da vida
tomaremos um porre de palavras
E nos ermbriagaremos um do outro

È pouco...Eu sei
Mas novamente,depois,depois e depois
Nos procuraremos
insaciavelmente
Numa angustia voraz
canibalizando nossas lembranças
sugando de nós mesmos
Todo sentimento que temos adormecido
fazendo-o ressucitar em sucessivos espasmos
Desfibrilando nossas emoções
Para que nosso sentimento mais puro
Possa sobreviver...
Até a nós mesmos
sabotadores da nossa felicidade...

Até a noite meu amor
Nas vielas da nossa paixão

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O PONTO DE ENCONTRO

O PONTO DE ENCONTRO
(Victtoria Rossini)

Quando menos se espera
Fogueiras sagradas são acesas
La no alto da montanha

O viajante solitario se guia pelas labaredas
Sentindo que não esta sozinho
E que os sinais são mais do que meros incêndios
Gerados pela tempestade que passou

Pega sua mochila de medos
E joga sobre as chamas...
Terminou a vida andarilha
Carregando os traumas nas costas

Arranca sua roupa
E começa a dançar a luz do luar e do fogo
sabe que logo os outros chegarão
Ali é o ponto de encontro

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

EU QUERO UM AMOR...QUE SEJA BOM PRA MIM

EU QUERO UM AMOR...QUE SEJA BOM PRA MIM
(Victtoria Rossini)

Não tem nada a ver com amar ou deixar de amar..
Tem a ver com procurar o que é melhor pra mim!
No emocional também existe auto-preservação.

Vida longa ao coração!
Que ele seja sábio
Esteja sempre aberto
E jogando a meu favor.

EM BUSCA DE SATISFAÇÃO

EM BUSCA DE SATISFAÇÃO
(Victtoria Rossini)

Eu e o coração
Companheiros de orgia...

Noite e dia
Num coito afoito
Masturbando a paixão...

Nos consumindo na embriaguez dos sentidos
Sem rumo
Sem tino

Apenas a fricção insana
Em busca do orgasmo perfeito
O gemido visceral
De satisfação da alma

Mas nada acalma
A fome da alma

Só o amor

quinta-feira, 22 de julho de 2010

OUVINDO AS PEDRAS


OUVINDO AS PEDRAS
(Victtoria Rossini)

Que me diriam as pedras
Se fosse o sangue delas
Que encharcasse o chão?

Será que eu ouviria:
“Não corra?
Não sofra?
Não se esvaia ...
Por uma ilusão?

Estamos aqui há milênios...
E já secamos lagrimas
Já vimos evaporar suor
Já vimos nascer e morrer a dor...?”

_Mas pedras...
Sou tão jovem
Tão frágil
Tão emoção

Quem me dera o tempo já houvesse me ensinado
A dor já tivesse me endurecido
E que dela eu nem me lembrasse mais

Mas sou apenas líquidos em ebulição
Carne com ferida à mostra
Num peito aberto
Drenado pela emoção

sexta-feira, 16 de julho de 2010

MEU HOMEM

De Poesias editadas
MEU HOMEM
(Victtoria Rossini)

Por ser “o meu” homem
Você me atiça

Por ser caos
Você me inspira

Por ser amor
Você me comove

E por você ser você
É que ainda estou aqui

Esperando teu beijo
Ansiando teu cheiro
...Mesmo tentando te esquecer...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

ATRÁS DO RESTO DE MIM

ATRÁS DO RESTO DE MIM
(Victtoria Rossini)

Procurando alguns pedaços de mim
Que ficaram pelo caminho...

Meus olhooooss!
O0
Ainda te procuram
Não estão mais em mim!

Meus pés te seguem
Minha boca saliva...Quer você!

Sou um simples robô
Com peças soltas
Alguns comandos...
Mas eu mesma,
Não mando.

Aceito
As ordens que vem do coração.
Sempre foi ele quem esteve no comando...

Eu o segui!
Por isso estou aqui
Perdida
Olhos rasos
Seguindo você

FESTAS DO FOGO


FESTAS DO FOGO
(Victtoria Rossini)

O sol se afastou de nós
É o equinócio do inverno

Mas festejemos!
Cantos ...Folguedos

Fogueiras à vida!!
RastilhoS de pólvora
No infinito da existência!

ALMAS SENSÍVEIS


ALMAS SENSIVEIS
(Victtoria Rossini)

Ser sensível
É ter a alma de cristal

Transparente
Límpida
Mas delicada...

Ao primeiro atrito
Trincamos
Nos desfazemos...

Mas somos recicláveis!
Ao nos ver esfacelados
A vida nos junta
Nos aquece
Nos liquidifica
E nos solidifica novamente

Aperfeiçoando nossos desenhos
Nos moldando
Nos recriando
Após cada tombo
Após cada quebra
Nos restaurando
E curando toda a dor

TE AMAR È UMA CACHAÇA

TE AMAR È UMA CACHAÇA
(Victtoria Rossini)

O teu amor é uma cachaça
Das mais bagaça
Adulterada
Daquelas mais safadas
Feitas pra arrebentar

Resssaca certa
Dor de cabeça
Dor de barriga
Arrependimento
E promessas de nunca mais tocar

Não sei se o gosto pior
É na hora vomitar
Ou na hora de entornar

Mas sou viciada!
Apaixonada!
E isso ainda vai me matar!

PS:
URGENTE me indiquem um A.A.A *
(Associação os Alcólicos Anônimos.
Ou no meu caso: Associação dos Apaixonados Anônimos)
Por mais que minha burrice seja famosa!

sexta-feira, 18 de junho de 2010

SÓ PORQUE EU TE AMO!


SÓ PORQUE EU TE AMO!
(Victtoria Rossini)

Amo!
E por amar tenho o corpo em fogo
A alma em festa
E a vida em êxtase...

Amo !
E ao amar me derramo
Fazendo com que a vida que vibra em mim
Se corporifique em carinhos

Amo!
E esse amor me desperta nas madrugadas
Fazendo com que meu sangue
Preencha meu coração

Amo!
E esse amor já não cabe em mim...
Ele explode em palavras
Escorre pela minha boca
E cai sobre você
Te abençoando e te guardando
Como a mais linda oração

Amo!
E te amar
Me torna boa
Me torna pura
Me torna tua

Só porque EU TE AMO!

OBRIGADA POR EXISTIR

OBRIGADA POR EXISTIR
(Victtoria Rossini)

Só de respirar
Você me inspira

Ao me olhar e suspirar
Você me da paz

Ao me querer
Você me dá sonhos

Só de existir
Você faz a minha vida
O meu amor
As minhas escolhas...
Valerem a pena

Obrigada por existir!

terça-feira, 8 de junho de 2010

LIÇÕES DE SOBREVIVÊNCIA



LIÇÕES DE SOBREVIVÊNCIA
(Victtoria Rossini)

A água invadiu igreja
O céu arrastou meu sonho
A dispersão arrasou minha cidade
Que se vê inundada de dores e ressentimentos
Eu sei...E todos sabem
Que não irão desaparecer com a noite
Porque o sol do dia
Só fará mostrar os estragos...

Não fomos capazes de reconstruir o templo.
Não amamos o suficiente
Para preservar o que nos era querido...

Agora ajoelho na lama
Junto as pedras que sobraram
E choro sobre meu joelhos machucados
Que sangraram de tanto orar.
Agora já nem rezo mais
Até a fé ja se foi...
Agora só engatinho pelo chão encharcado
Chorando e procurado absolvição

“Não quero mais cometer os mesmos erros
Não quero ficar presa no mesmo alçapão.
Tenho que aprender a saída
Não sou rato
Para morrer afogada no porão.”

Tudo pode se desfazer a minha volta...
Menos eu!
_“É apenas um treinamento!”
_ “Hora de aprender a lição!”

TEMPESTADE NO CÉU

TEMPESTADE NO CÉU
(Victtoria Rossini)

Quando pensei q encontraria a porta do céu
O mundo escurece
Uma chuva de lagrimas cai
E me perco no pântano da dor e do abandono...

Sei que logo ali tem gente
Ali...Atrás das janelas me espiam.
Mas ninguém abre a porta pra eu entrar
Nem me oferecem um agasalho...

Só o vento frio me açoita o corpo e a alma
Sem descanso
Sem tréguas...

Seria tão simples
Era só juntar-me aos meus inimigos
E fingir que esta tudo bem ...

Mas não consigo...
Sou kamikase errante
Determinada
Venço ou morro...
Mas sempre com meus ideais.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

TE AMAR É SONHO


TE AMAR É SONHO
(Victtoria Rossini)

Te amo
Porque teu nome é ternura
Tua pele é desejo
Tua alma pureza

Te amo
Porque você faz de todos os dias surpresa
Do comum um sonho
Da rotina uma espera

Te amo
Porque teu sorriso me aquece
Tuas lagrimas me tornam humana
E tuas fraquezas me tornam forte

Te amo!...
E sonhar com você
Faz com que eu espere um amanha
Em que eu e você sejamos um

ASAS


ASAS
(Victtoria Rossini)

Voe para mim...

Voe em minha direção
Se alinhe
E voe comigo

Te ensinarei a planar em ventos
Que derrubariam, até aviões...
Te mostrarei como subir
Alem das tempestades da vida...
Te levarei até as correntes
Que te elevarão aos céus...
E saberás o que é
A verdadeira liberdade.

Aprenderás a abrir a alma
Soltar a voz
E fazer teu coração correr como o vento...
Aprenderas que ser livre
É amar a vida plena
Abraçar o mundo
E SER o que verdadeiramente és...
LIVRE

Aprenderás que nesse mundo
Ser livre...É escolher os próprios laços
Por isso
Eu te escolhi!

segunda-feira, 31 de maio de 2010

ECOS NA MADRUGADA


ECOS NA MADRUGADA
(Victtoria Rossini)

Só eu sei as sombras que me espiam na noite...
E os gemidos que ouço
Sinto que saem dos meus próprios lábios...

Ja não os temo
Aprendi a conviver com eles
Tanto quanto com o silêncio...

Ambos me ferem
Porque falam da minha solidão

E não é falta de gente a minha volta
Tampouco a falta do que fazer...

É a falta das tuas palavras
A falta da tua gargalhada
A ausência dos nossos gemidos
O vazio
Onde antes tinha a mão...

Isso é solidão

O eco do que vivemos
Hoje me fere mais
Do que se nunca tivéssemos vivido

Pelo menos
Eu não saberia
O que deveria ter

VISÃO DE LONGO ALCANCE


VISÃO DE LONGO ALCANCE
(Victtoria Rossini)

Queria olhar pra mim mesma de cima!
Não pra me diminuir.
Mas pra ver se consigo ver o contexto todo
Das coisas
Que aqui de dentro não vejo...

Um olhar de raio-x
Transpassando o que parece intransponível
Rechaçando o que penso ser grande
E clareando o que as vezes parece sem esclarecimento...

Ahh
E queria também
Uma certa dose de esquecimento
Das coisas que me feriram
E das dores que já causei...

Procuro uma câmera mágica
Que possa mirar em mim,
Achar meus melhores ângulos
Meus melhores momentos
Meus melhores caminhos
E salvar SÒ isso na memória

quinta-feira, 27 de maio de 2010

DIAS DE GLÓRIA

DIAS DE GLÓRIA
(Victtoria Rossini)

Sabe “aqueles dias”
Que você ouve o bater das asas dos anjos?...
Que você vê a luz se expandindo e derrubando fronteiras?
Que teu coração vira asas
E te leva a subir... voar...Ir além..
Cantando Obrigadaaaaaaaaaa...

E você rindo pra chuva
Rodopiando nas lembranças
Abraçando o mundo?
Beijando você mesmo por ser tão especial?...
Hoje eu estou “naqueles dias”

Esse dia é hoje!!
Hoje...Sinto amor tão vivo quanto o sol
Hoje...Sinto a pulsar da cada célula
Hoje..Entendo todas as linguagens
Hoje...Sei que estou vivendo o maior milagre

Hoje
É um “daqueles dias”
Em que o céu e a terra
Se unem dentro de mim

sábado, 22 de maio de 2010

ESTADO DE EMBRIAGUÊS

ESTADO DE EMBRIAGUÊS
(Victtoria Rossini)

Ando bêbada de amor...
Tropeçando nos próprios pés
Embriagada por lembranças
Pareço uma criança:
Olhos brilhantes de paixão
E boca escorrendo sonhos

E não adianta...
Já tentei ficar sóbria
Usar a razão
Trancar o coração
E acreditar que não é possível

Mas sabe o que adiantou?
Nada!
Aqui estou eu...
Como sempre
E mais uma vez
Empinando a taça
E rolando pelo chão
Vendo estrelinhas
Lendo em entrelinhas
Que nem sei onde darão

Mas bebo...
Ahhh se beeebo!!
E gemo de satisfação!

NO FINAL...

NO FINAL...
(Victtoria Rossini)

No final...
Vencem
Os que encaram seus medos
Mesmo sem ter certezas

No final...
Chegam os que agem
Sem olhar para os concorrentes
Nem a platéia que critica

No final...
É feliz
Quem se nega
A ver a escuridão
E avança com os olhos fixos na luz

No final...
A paz é alcançada pelos pacificadores
Que domam a ilusão em si
E se negam a digladiar
Mesmo que tudo
E todos
Os chamem para a arena

No final...
É amado quem ama
Realiza quem age
Alcança quem confia
Vê quem tem foco

No final...
O braço
O arco
A força
A flecha
E o alvo
São um só

sábado, 15 de maio de 2010

O FANTASMA NO TRONO


O FANTASMA NO TRONO
(Victtoria Rossini)
Por mais que eu feche os olhos...
Ele esta lá

Viro o rosto
Durmo
Acordo
Como
Corro...
Mas ele esta la...

Mesmo dormindo
Eu vejo
Eu sinto...
Ele esta la...

O velho fantasma
Com o mesmo sorriso
E o coração cheio de amor

Eu sei que ele morreu
Enterrei seus restos
Ouvi com meus próprios ouvidos
A ultima palavra
E o fatídico adeus

Mas juro!
Ele está la..
A me olhar...
Sentado
Postado
Entronado
Vivo...
Dentro do meu coração

Ele esta lá!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

MEIA-NOITE

MEIA-NOITE
(Victtoria Rossini)

È meia noite

Ouvi o som do relógio

Finalmente esse dia terminou!

Achei que ele não acabaria nunca
E que eu ficaria presa aqui para sempre

Fico parada
Sentindo o tic tac das minhas células

Senti dentro de mim...
Os ponteiros estao correndo

Começou o novo dia

E mesmo que ainda esteja escuro
Sei que o novo já chegou

Uma nova energia
Circula aqui
Dentro de mim

Nem dormirei...
Ficarei na janela
Esperando o sol nascer

segunda-feira, 10 de maio de 2010

CACHORRO LATE E A CARAVANA PASSA


CACHORRO LATE E A CARAVANA PASSA
(Victtoria Rossini)

Pouco me importa
O que você pensa ou espera de mim
(Quem paga essa conta é você)

Eu sei quem eu sou
E para onde vou.
Quando chego em algumas encruzilhadas
Onde temporariamente
Me desoriento
E não sei para onde ir...
Paro!

Olho cuidadosamente o mapa que trago na alma
Cuido os sinais
Rearranjo meu corpo
Re-configuro meus sentimentos
Me re-conecto com o todo
E sigo adiante...

E as tuas considerações sobre mim?
Tuas duvidas sobre a pessoa que eu sou?
Ficam com você!
Porque TE pertencem...
Fazem parte do conjunto dos TEUS julgamentos.

EU?
Estou muito além do que supõe
As boas línguas
Ou aquilo que você pensou sobre mim
Lá atrás

SIGO...
Eu tenho uma missão a cumprir

sábado, 8 de maio de 2010

QUEM ME DERA...


QUEM ME DERA...
(Victtoria Rossini)

Quem me dera sonhar quimeras
E quando acordar vê-las brotar...

Quem dera viver meus amores
E nunca conhecer suas dores
E nem os seus dissabores...

Quem me dera nascer velha
(sabendo tudo)
Viver adolescente
E morrer em flor...
Mente pura
Coração limpo
...E virar vento...

Penetrar nos mistérios
Ir contra o tempo
Apenas para entender os porquês...

PERMITA-SE!


PERMITA-SE!
(Vitória Rossini)

Se permita...

Deixe a chuva te lavar
Deixe o vento te levar
Deixe o hoje te absorver

Se permita...

Deixe as mãos se movimentarem
Deixe teus pés correrem
Deixe teu sangue fluir

Se permita...
Deixe o amor te abduzir
Deixe esse fogo te purificar
Deixe a vida fluir

Se permita...

Deixe o mundo te fazer feliz
Deixe teus olhos brilharem
Deixe tua alma voar

Se permita ser quem você é!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

O DELÍRIO DOS SENTIDOS




O DELÍRIO DOS SENTIDOS
(Victtoria Rossini)

As vezes acho que não sou humana.
Pareço mais um parque de diversões
Onde brinco de experimentar meus sentimentos
Não que eu os explore.
Eles é que me usam...
Eu?
Apenas deliro

Uma roda gigante
Cheia de cheiros e fome
Tonturas e segurança
Toques e falta
Gargalhadas e lagrimas
Mordidas e beijos
Descidas e subidas
Êxtase e desespero

Se sofrer
Se gozar
Não importa...
Só quero saber
Que quero sentir

Chorar
Rir
Gargalhar
Soluçar
Pouco importa...
O importante é sentir!

Vivo na ponta dos pés
Sempre pronta para o próximo salto
Para onde meus sentimentos me levarão?
???
Já me acostumei a eterna expectativa...

ADEUS ESCRITO NA PAREDE


ADEUS ESCRITO NA PAREDE
(Victtoria Rossini)


Parti...
Porque tenho alma de fada

Não sei viver no escuro
No limbo
Na indecisão

Não consigo sobreviver a dor
As lágrimas
A reclusão

Tenho a alma feita de amor...
Que precisa ser expressado
Que se vê quando retribuído
Que se multiplica quando gritado

Tenho olhos de alegria
Que por um tempo vi em você
Porque só sei ver na luz
Só sei respirar na clareza

Parto...
Porque se continuar aqui morrerei
A masmorra que me abriga
Não é o meu elemento

Estás tão ausente
Que quando entrares aqui
E leres...Eu já terei partido.
Adeus
(escrito em lagrimas de sangue)
...Meu amor.

sábado, 1 de maio de 2010

ENQUANTO DURMO...


ENQUANTO DURMO...
(Victtoria Rossini)

Quando for lá fora
Por favor
Me traga flores...

Quero sentir os aromas
Quero sentir os sabores
De tudo q tens aí

Me traga fotos das ruas
Dos sorrisos
De tudo o que não vivi

Enquanto te esperava
Sem perceber adormeci

A terra girou
O mundo mudou
As sementes caíram
Outras flores brotaram
O sonho acabou....

Só eu fiquei aqui!

sexta-feira, 30 de abril de 2010

SECRETUS


Secretus
(Victtoria Rossini)

Meu amor me pertence...
Pouco importa o que acham dele
Se o aceitam
Se o rejeitam
Se o ignoram

È ele que aquece
E preenche meu coração...
Salvarei as melhores lembranças
No secreto da minha alma
E seguirei em silêncio.
Mesmo que o ser amado
Nao mereça tanto amor.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

PRISIONEIRA


PRISIONEIRA
(Victtoria Rossini)

Jogada no chão da minha cela
Onde me amarrei por querer
Me tatuo com os cacos dos vidros
Que estouraram com o furacão
Que me tirou você

Sinto a carne ardendo
E isso faz eu esquecer
O prazer que era te ter

Me converti
Em prisioneira tua...
Mesmo sem querer

Percorro os labirintos escuros
Que me conduzem
Até onde mora tua lembrança

Ali é o quarto dos prazeres
Onde me entrego profana
Ao eco que ainda ressoa
E respondo aos teus gemidos de prazer

Você...
Minha cela
Minha perdição

domingo, 25 de abril de 2010

AMOR-TALHADO

De Poesias editadas


AMOR-TALHADO
(Victtoria Rossini)

As palavras de amor
Que você não disse...
Separou nossas vidas

Os beijos de amor
Que não ganhei...
Selaram nossos lábios

O prazer
Que você me negou...
Embalsamou nosso corpo

Os abraços
Que você não quis dar...
Paralisou nosso braços

Não adiantou nada
O Amor guardado
Na tua cripta

...Ele não sobreviveu...

Farei da frase oca:
“Mas eu amava você!...”
A nossa mortalha

Nos embrulharemos nela
E descansaremos em paz.
Aqui jaz

O GRITO DAS PALAVRAS

De Poesias editadas

O GRITO DAS PALAVRAS
(Victtoria Rossini)

URGENTE!
Me aposentem...

Quero parar de pensar
Quero o silêncio.

Essas palavras
Não param de gritar

Elas tem garras
Tem teias
Tem raizes
Tem unhas...

E estão sempre a se entranhar
Na minha pele
No meu sangue
Nos meus pensamentos...

E não tem vento
Que os possa levar
Não há borracha que apague
Não há isolante que cale
Essas palavras vivas
Que vivem a me rodear

Elas não tem hora
Não não tem forma
Nem lugar

As vezes quero calmaria
curtir o dia
relaxar

Mas não adianta!
Lá estão elas...
Sempre a me cortejar

sábado, 24 de abril de 2010

NOITE NUA

De Poesias editadas
NOITE NUA
(Victtoria Rossini)

Olhos..
Por horas a fixar o nada
Na paisagem nua

Nada aqui...
Também nada ali...

Lá...
Mas bem lá
A lua

Mais alem
A nudez de idéias
A aridez de esperança...

E a trança
Cai solta na face nua
Já nua dos sentimentos
Que por tanto tempo a animou

Sobre o corpo...
Nada

No coração...
A dor

quarta-feira, 21 de abril de 2010

FOGUEIRAS DAS PAIXÕES


FOGUEIRAS DAS PAIXÕES
(Victtoria Rossini)

Era um tempo de santidade
Em que o fogo ardia nas entranhas
Mas o espírito mantinha-se casto
Fiel ao amor e a tudo o que ele representava...

Mas a noite quando as fogueiras se acendiam
O pecado bailava nu nas chamas de Beltrame
E a fria feiticeira se tornava volúpia
Alucinando até o mais devoto cristão...

Era assim até o sol nascer...
Quando novamente a carne acalmava
E a terra esfriava seu furor

MEU MELHOR AMIGO

http://lh5.ggpht.com/_ajZuhuoqqgw/S9I_WmqUA7I/AAAAAAAAB0E/KY_JOWVJVgo/s640/Valentine_(11).jpg
De Poesias editadas

MEU MELHOR AMIGO
(Victtoria Rossini)


Meu melhor amigo
Mora do outro lado do mundo...


Ele não dorme quando eu durmo
Não acorda quando eu acordo
Mas come junto comigo
Teclando pra me acalmar

Não sei seu nome real...
Mas sei sobre ele
Tudo o que me interessa

Conheço sua lealdade
E vivo no seu coração
Assim como ele vive no meu
Entre nós não importa idade
Não importa a distancia
Não tem nada a ver cor, status ou aparência

Sei tudo da sua alma
Sei do seu amor
Isso é o que realmente interessa

A forma que usamos para nos tocar é virtual:
Coração a coração
Mas nossa amizade é bem real!