sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O PONTO DE ENCONTRO

O PONTO DE ENCONTRO
(Victtoria Rossini)

Quando menos se espera
Fogueiras sagradas são acesas
La no alto da montanha

O viajante solitario se guia pelas labaredas
Sentindo que não esta sozinho
E que os sinais são mais do que meros incêndios
Gerados pela tempestade que passou

Pega sua mochila de medos
E joga sobre as chamas...
Terminou a vida andarilha
Carregando os traumas nas costas

Arranca sua roupa
E começa a dançar a luz do luar e do fogo
sabe que logo os outros chegarão
Ali é o ponto de encontro

4 comentários:

Belle de Jour disse...

Oi poeta!
Adoro esse seu lado mistico!
Lindo poema!
Bjs!
Belle de Jour

athena disse...

Mulher Sabia!..Lindas,Lindas e Sabias são as tuas Poesias!..

Victtoria Rossini Poesias disse...

:)
Obrigada Athena, Obrigada Belle!!
É um prazer compratilhar o que sinto aqui dentro !
bjuss

athena disse...

Amor a sabedoria
"O homem é uma
prisão em que a alma permanece livre"
A alma do homem necessita de rememorar o que antes contemplou, já
que o corpo é um objeto que priva a alma de conhecer a verdade (que são as
formas) o corpo é o cárcere da alma. Desta forma, aquele que busca a verdade,
luta durante toda a sua vida para libertar-se do corpo e alcançar a verdade
eterna.
Contudo, a Filosofia é o meio pelo qual podemos alcançar tal
verdade, pois é por ela que podemos estar em sublime reflexão,
Visto que pelo exercício da Filosofia a alma pode voltar-se a si
mesma, desligando-se do corpo e atingindo o puro, o eterno, o ideal as formas.
Em Platão, tem-se que a Filosofia busca persuadir as almas a se
despren- derem dos sentidos, mostrando a ela o quanto é ilusório o conhecimento
através dos olhos do corpo, é recomenda que se volte para si e confiem nelas
mesmas,
Aquele que busca a verdade deve, o quanto antes,
libertar sua alma dos grilhões do corpo. (Modesto Lazzarin)